Últimas Notícias

ACUSADO DE HOMICÍDIO É BALEADO APÓS FAZER JOVEM COMO REFÉM

POLICIA CIVIL DE LUÍS EDUARDO MAGALHÃES CUMPRE MANDADO DE PRISÃO TEMPORÁRIA DE INVESTIGADO PELA PRÁTICA DE HOMICÍDIO DOLOSO CONSUMADO OCORRIDO NO DIA 02/06/2018 NA RUA SEABRA, BAIRRO SANTA CRUZ.

O acusado foi transferido para o Hospital do Oeste
Foto: Ilustrativa

Sob a coordenação do DPC Leonardo de Almeida Mendes Júnior, a equipe de Investigadores de Polícia da Delegacia de Polícia Territorial de Luís Eduardo Magalhães, cumpriu o mandado de prisão temporária expedido pelo Juiz de Direito da Vara Criminal em desfavor de José da Conceição Santos, vulgo “Zé”, investigado nos autos do Inquérito Policial nº 268/2018, que apura a autoria, materialidade e circunstâncias do homicídio doloso consumado praticado contra a vítima Leandro dos Santos Leonardo, vulgo “Leozinho”, fato este ocorrido no último dia 02/06/2018, por volta das 11h40m, na Rua Seabra, Bairro Santa Cruz.

A Polícia Civil conseguiu localizar José da Conceição Santos, vulgo “Zé”, após o mesmo ter agredido fisicamente com socos e pontapés, além de ter ameaçado de morte sua companheira Fernanda, vulgo “Kika”, a qual, compareceu no DISEP para registrar ocorrência por ter sido vítima de crime previsto na Lei Maria da Penha.

Em diligências nos possíveis locais onde José, vulgo “Zé” poderia se encontrado, o mesmo ao avistar a equipe da Polícia Civil, efetuou disparos de arma de fogo contra os policiais, saltou o muro da casa de uma jovem que foi feita de refém e escudo pelo investigado e, após alguns instantes de negociação, José, vulgo “Zé”, foi atingido na perna e a refém liberada, sendo aquele devidamente socorrido para a UPA de Luís Eduardo Magalhães.

Em depoimento, a pessoa que teve a casa invadida por José, vulgo “Zé”, contou que viveu minutos de terror quando foi feita refém e afirmou que somente está viva graças ao trabalho desenvolvido pelos policiais civis que conseguiram libertá-la sem nenhum ferimento.


Fonte: DPC Leonardo de Almeida Mendes Júnior – DT/Luís Eduardo Magalhães.

Sem comentários