Últimas Notícias

PAI E FILHO ACUSADOS DE PARTICIPAR DE EXECUÇÃO CONTRA PM SÃO MORTOS EM LEM


SETE ACUSADOS PELA MORTE DO CAPITÃO OLIVEIRA, QUE COMANDAVA A POLÍCIA DE CAATINGA DE SERGIPE, MORREM EM TROCA DE TIROS COM A POLÍCIA.



Capitão da PM Manoel Oliveira executado em 04 de abril em Sergipe  com mais de 30 tiros
Deu entrada nas primeiras horas desta sexta-feira, 18, na UPA – Unidade de Pronto Atendimento de Luís Eduardo Magalhães os corpos de dois acusados de ter assassinado em abril deste ano o capitão da Polícia Militar de Sergipe Manoel Alves de Oliveira Santos, de 42 anos, morto com mais de 30 tiros na noite da quarta-feira, 4 de abril, nas proximidades do povoado Vaca Serrada, no município de Porto da Folha, a 180 quilômetros de Aracaju, informações iniciais dão conta que ao todo foram 7 mortes na região com envolvimento com esse caso. Ele era comandante do Pelotão de Caatinga e nos próximos dias faria uma grande operação na região. O irmão do capitão, Wellington Oliveira, disse que o oficial vinha recebendo ameaças de morte de membros do Primeiro Comando da Capital (PCC).
Em Luís Eduardo foram mortos Jackson da Silva, 29 anos, e José da Silva, 53, pai e filho, os dois foram mortos em confronto com os policiais, um homem identificado como Marconi foi preso na cidade Universitária.

VEJA INFORMAÇÕES PRESTADAS PELA POLÍCIA 


No inicio da manhã desta sexta-feira (18) homens envolvidos com a morte do capitão Oliveira, do Pelotão da Caatinga, resistem à prisão e trocam tiros com a polícia. Pelo menos oito homens foram baleados e sete morreram.

A informação passada na tarde desta quinta-feira (17) era de que a polícia já tinha conhecimento da identificação dos assassinos do capitão e inclusive com um suposto mandante.

A Secretaria de Segurança Pública emitiu uma nota informando que foi deflagrado uma operação para prender os responsáveis pelo envolvimento com morte do capitão Manoel Oliveira, então comandante da Companhia Integrada de Patrulhamento em Áreas de Caatinga.

As investigações foram coordenadas pelo Complexo de Operações Policiais Especiais (Cope), que se baseou nas informações checadas através do 181 e pelas diligências realizadas na investigação policial.

Sabe-se que a ação contra o comandante da caatinga mantém relação com um trabalho da Secretaria da Segurança Pública contra pistolagem, parte na região Norte da Bahia e alto sertão de Sergipe.

A operação aconteceu em setembro de 2017 e prendeu um trio relacionado com o crime de pistolagem na Bahia, Sergipe e Alagoas e tinha como foco em Pedro Alexandre, na Bahia.

Até o momento houve sete confrontos com investigados em Aracaju, Poço Redondo, Barreiras (BA), Paulo Afonso (BA). Três foram presos e serão conduzidos ao Complexo de Operações Policiais Especiais (Cope).

As mortes dos acusados foram 2 em Poço Redondo, 2 em Barreiras (BA) e 1 em Paulo Afonseo (BA) e 2 Luiz Eduardo Magalhães.


Com informações da SSP
Fonte: Faxaju (Munir Darrage)



Siga-nos no Facebook: Portal Valle

Sem comentários