Últimas Notícias

FRAUDE NA REDE DE DISTRIBUIÇÃO DE ÁGUA

Em três meses, Embasa descobre cerca de 50 fraudes na rede distribuidora de água de Barreiras

Durante ações de combate ao furto de água no município, a Empresa Baiana de Águas e Saneamento (Embasa) identificou e retirou, entre janeiro e março deste ano, cerca de 50 ligações clandestinas, popularmente conhecidas como “gatos”, na rede distribuidora de água de Barreiras.
Foram encontrados diversos tipos de fraude, desde a ligação clandestina comum, feita por pessoa que nunca solicitou ligação de água para o seu imóvel ou que teve a água cortada por falta de pagamento, até o by pass, desvio de água a partir de um ponto instalado indevidamente antes do hidrômetro, para impedir que o aparelho meça o consumo real. “Outra irregularidade bastante comum é a violação do hidrômetro que mede o consumo do imóvel. Identificamos oito casos, tornando necessária a substituição do equipamento danificado”, informou a gerente da Embasa de Barreiras, Daryanne Mascarenhas.
Juntas, as fraudes resultaram em 393 mil litros de água a menos na rede distribuidora, volume que seria suficiente para abastecer 65 imóveis, com um consumo de 6 mil litros de água cada, durante um mês.
Em Barreiras, a Embasa mantém duas equipes que trabalham diariamente em campo para identificar os furtos de água, com o apoio logístico do escritório local. A empresa também aciona a Polícia Militar para emissão de boletins de ocorrência, o que permite que o autor do dano seja civil e criminalmente responsabilizado. “As irregularidades vem sendo identificadas por meio de denúncias de vizinhos prejudicados e pela identificação, em nossos sistemas, de mudanças repentinas do hábito de consumo nos imóveis”, explica Daryanne.
Os furtos de água, segundo ela, acontecem de maneira pulverizada em bairros centrais e periféricos de Barreiras e independem de situação econômica. “Além de residências, grandes consumidores como comércios, escolas e hospitais também são comumente flagrados. Além do constrangimento de uma ação criminal por furto de água, é aplicada multa e calculado uma média do que o imóvel furtou de água”, explica a gestora. “Contamos com o apoio de denúncias da população, que é diretamente prejudicada com a redução da vazão e com picos de falta de água ao longo do dia. Quem faz gato não se preocupa com a conta, com o desperdício e nem com a coletividade”, reforça.
ALERTA |  A prática de furto de água é qualificada crime contra o patrimônio, de acordo com o artigo 155 do Código Penal Brasileiro, cujo parágrafo 3º, ao tratar de furtos, equipara “à coisa móvel a energia elétrica ou qualquer outra que tenha valor econômico”. A pena prevista na lei é reclusão de um a quatro anos e multa. Ligações clandestinas de água devem ser denunciadas pela população pelo telefone 0800 0555 195.


Assessoria de Comunicação da Embasa
Unidade Regional de Barreiras (UNB)

Sem comentários