Últimas Notícias

ALAGOANO COM MANDADO DE PRISÃO É CAPTURADO EM BARREIRAS


Policiais civis do Serviço de Investigação da 1ª Delegacia Territorial de Barreiras efetuaram a prisão na manhã desta quinta-feira (12), do pintor de parede Jalon Alves da Silva, de 37 anos, natural de Batalha/AL, o qual possuía Mandado de Prisão em aberto pela prática de homicídio do bacharel em Direito José Jair Moreira Brasil, 33, conhecido por “Jairzinho”. O crime ocorreu na cidade de Porto da Folha, estado de Sergipe. O suspeito estava morando na rua “D”, bairro Vila Nova, nesta cidade.

De acordo com a Polícia Civil de Barreiras, o crime aconteceu na madrugada do dia 13 de fevereiro de 2013. A vítima foi assassinada a tiros, depois de participar de uma farra em companhia de Jalon na casa de um vereador de prenome Tiago.

Na ocasião do fato, José Jair trafegava pelas ruas da cidade em seu veículo Toyota Corolla, quando foi executado, sem chance de defesa, por dois homens a bordo de uma motocicleta. O atingiram com cinco disparos de revólver calibre 38 no pescoço e na cabeça. O advogado morreu dentro do automóvel. Os autores fugiram em alta velocidade.

O delegado Samuel Oliveira, da cidade de Porto da Folha, declarou à época do fato, que Jairzinho e o suposto autor, se envolveram em uma discussão durante a farra, mas antes disso, beberam juntos, conversaram e tiraram fotos. Ambos estavam alcoolizados. Após o desentendimento, Jair foi para casa em seu carro, mas Jalon o seguiu e executou o crime com tiros a queima-roupa.

As informações para encontrar o executor de Jairzinho, foram obtidas por meio do aparelho celular da vítima e informações dadas pelos presentes na residência do vereador, onde Jair estava antes de morrer.

Na delegacia de Barreiras, Jalon diz que o crime foi praticado por seu primo Emanuel Messias, que segundo o mesmo, foi morto pela polícia na cidade de Belo Monte/AL. “Emanuel estava gostando da mulher do Jairzinho, por isso, fez essa besteira. Eu assumi o crime, porque ele era muito perigo e me fez ameaças de morte”, se defendeu.

O delegado titular do município, José Romero alega que Jalon usava o nome falso de Diego aqui em Barreiras e jogou seus documentos pessoais fora para não ser identificado. “Ele já confirmou sua verdadeira identidade e a partir de agora vamos providenciar a transferência dele para o Conjunto Penal, de onde deverá ser encaminhado para Sergipe”, declarou Romero.

Nenhum comentário